Breve História

O Hapkido é uma arte marcial recente surgida da junção de artes japonesas com coreanas, e é composta por técnicas duras e suaves, utilizando movimentos circulares, socos, pontapés, quedas, projecções e técnicas de desequilíbrio do adversário ou seja aproveitar a energia do adversário a nosso favor.
Como armas tradicionais utiliza a bengala, cinto e o pau curto.

O criador do Hapkido, Grande Mestre Choi Young Sul, nasceu em 1904 na vila de Yong Dong, província coreana de Chung Buk.

Ficou órfão ainda muito jovem e foi levado para o Japão, em 1912, com cerca de 8 anos de idade por Morimoto, usando então o nome japonês de Yoshida Asao ou Yoshida Tatujutu. Nessa altura era frequente que quem fosse para o Japão adoptasse nomes japoneses.
Aqui foi abandonado na cidade de Moji e depois viajou sozinho até Osaka, onde foi interceptado pela polícia, esta, vendo que não tinhas familiares colocou-o no templo budista em Kyoto.
Viveu sob os cuidados do monge Kintaro Wadanabi, pelo período de dois anos. Durante a sua estadia no templo budista ficou fascinado pelos murais e pinturas que retratavam guerras, batalhas e famosas cenas de artes marciais. Após o monge Wadanabi ter reparado o quanto tais figuras encantavam Choi, apresenta-o a um seu amigo Sokaku Takeda (1859 - 1943), o 32º herdeiro do Daito-Ryu Aikijujutsu.
Este sistema, com 3808 técnicas, foi fundado no séc.XI por Minamoto Yoshimitsu e transmitido para Sokaku Takeda através de Saigo Tanomo (1829 - 1905), após o fim do feudalismo da era Meiji.
Takeda era descendente do Clã Aizu japonês da linhagem Samurai. Adoptou Choi, que permaneceu como criado interno na sua residência na montanha em Shin Su, região de Akeda.
Assim permaneceu durante 30 anos, frequentando diariamente as aulas dadas pelo seu mestre Sokaku Takeda, com os seus companheiros japoneses sendo um deles Morihei Ueshiba.
Sokaku Takeda ministrava aulas à família real japonesa, acompanhado por Choi, e em Tóquio ensinavam as mais altas autoridades do governo japonês.
Com a 2ª Grande Guerra Mundial mudaram muitas coisas no Japão, que estava quase a perder a guerra.
Num último fôlego o imperador criou uma unidade especial composta pelos mais proeminentes mestres de artes marciais da época. Toda a classe de Daito Ryu foi recrutada com a excepção de Sokaku Takeda e Choi.

Após a derrota do Japão, que nunca tinha sido derrotado anteriormente, Sokaku Takeda sendo um homem honrado e de liderança, decidiu pôr termo à sua vida deixando de comer.

Com o fim da guerra e o fim da ocupação da Coreia, pelos japoneses, Choi Young Sul regressa a casa, no Inverno de 1945.
Durante o regresso Choi Young Sul perde a sua bagagem que continha algum dinheiro e todos os documentos e certificados que tinha recebido do mestre Sokaku Takeda.
Após a sua chegada, em Taegu, sem dinheiro e tendo uma família agora para sustentar, Choi vê-se obrigado a ganhar a vida nas ruas e a vender bolos de arroz. Com as suas poupanças comprou uns porcos e alimentava-os com grãos obtidos numa cervejaria ali perto de nome Suh Brewery Company.
Num dia de manhã, em Fevereiro de 1948, quando Choi se dirigia para a cervejaria, um grupo de homens tentou passar-lhe à frente na fila. E quando o tentaram agredir Choi tomou uma postura de defesa e com técnicas desconhecidas eliminou toda a ameaça.
O proprietário da cervejaria Suh Bok Sup (1906 - ... ) ao ver tais técnicas mandou um dos seus empregados chamar Choi. Pois Suh Bok Sup já era graduado em Yudo (Judo) pelo mestre Choi Yong Ho, e nunca tinha visto tal eficácia.
De imediato Suh Bok Sup questionou Choi acerca daquele estilo marcial, que lhe disse ter treinado no Japão e que o estilo se denominava Yu Sul (tradução coreana para Jiu Jitsu) ou Yamara (nome dado frequentemente no Japão ao Ju Jitsu).
Suh Bok Sup pediu-lhe então que lhe ensinasse tal estilo mas Choi recusou. Suh Bok Sup ofereceu-lhe mais grãos e algum dinheiro e Choi, com uma família para alimentar acabou por aceitar, ficando entretanto como guarda costas do pai de Suh Bok Sup, Sr. Suh Dong Jin.
Suh Bok Sup tornou-se então o seu primeiro aluno e primeiro cinto negro. Daqui surgiram muitas das técnicas actuais do Hapkido, como agarrar o dobok, e como projecções, originárias do Judo.

Choi começou a dar algumas aulas em Taegu, província de Kyung Buk, em 1948, e aí se manteve até à sua morte, aos 82 anos.
Devido à sua personalidade difícil, deixou poucos alunos directos praticando a sua técnica original Yu Sul, sendo que os seus discípulos tomaram caminhos diferentes.

Em 1951/52 Choi e Suh Bok Sup abriram a escola Korean Yu Kwon Sool Hapki Dojang, a primeira escola formal para ensinar a arte.
Em 1958 Choi abriu a sua própria escola usando o nome de Hapkido pela primeira vez. Ambas as escolas estavam localizadas em Taegu. Alguns dos seus primeiros alunos foram Won Kwang Wha, Kim Moo Hong, Kim Jung Yoon.


Mais tarde apareceriam novos alunos, entre eles Ji Han Jae, nascido em Andong em 1936, que estudou intensamente com Choi, durante 7 anos (1949-1956) e que viria a divulgar o Hapkido no mundo.



Ji Han Jae já era graduado na arte de Sam Rang Do (Taekyon) e, com a ajuda de Kim Moo Woong Hyong, adicionou os pontapés altos e em salto, armas, exercícios de meditação/respiração (Son Do Sul), obtidos no seu treino com uma monge Taoista Lee Do-Sa durante 5 anos.

Ji Han Jae regressa a Andong sua cidade natal e abre a sua primeira escola (An Moo Kwan) em 1956 e já com a graduação de 3ºdan. Ele ensinou Yu Kwon Sul durante 9 meses até que se mudou para Seoul e abriu uma nova escola (Sung Moo Kwan).

Em 1958 Ji Han Jae muda a sua escola para a localidade de Joong Shi Jang e continua a ensinar até 1960.
Durante este período adiciona técnicas de pontapés e socos trazidas de outras artes marciais coreanas e da sua experiência anterior em Taekyon. Em 1959 decide que o seu sistema era já diferente do que aprendera com Choi, que tinha uma forte ligação ao aiki-jujutsu, e então decidiu chamar Hapkido ao seu sistema.

Como instrutor de alguns alunos que mais tarde viriam a ser grandes mestres de renome tais como: Kwon Tae Mon (impulsionador do Hapkido nos USA), Myung Jae Nam, Choi Sea Oh (1º instrutor a abrir um dojang em Los Angeles, EUA, na altura com a graduação de 5ºdan), Han Bong Soo (pai do Hapkido nos EUA), são apenas alguns deles.

Em Outubro de 1960 Kim Yong Jin, aluno de Ji Han Jae, juntamente com Han Bong Soo abrem a escola Eul Ji Kwan em Seuol e em 1968 Kwan Shik Myung abre a escola Young Moo Kwan em Seuol.

Entre 1962 e 1979 Ji Han Jae trabalhou com o guarda-costas do presidente coreano Park Chung Hee no castelo presidencial (casa azul). Foi também o instrutor da polícia coreana, na academia militar e da unidade de Operações Especiais Coreanas.

Em 1969 Ji Han Jae visita pela primeira vez os EUA e é apresentado a Bruce Lee pelo grão mestre de Taekwondo Jhoon Rhee. Mais tarde viria a contracenar com Bruce Lee no filme "Jogo da Morte".

Em 1983 Choi viaja para os EUA para visitar várias escolas.
Choi viria a morrer em 1986 e o seu fillho Choi Bok Yeol (novo 2º Doju Nim ) segue os passos do seu pai mas viria a morrer um ano mais tarde, em 1987.
Em 2000 sucede o 3º Doju Nim Kim Yun Sang que activamente promove o Hapki Yu Sul com o apoio dos parentes da família de Choi.





Princípios do Hapkido

YU (Água) - Penetração total na defesa do oponente de forma flexível e adaptável, a água nunca luta contra um obstáculo que encontra;

Won (Círculo) - Utilizar e desviar a força do oponente através das acções circulares;

Wa (Harmonia) - Não resistência, o sentir e absorver. Não contrariar a força do oponente, mas sim aproveitá-la.


Um dos maiores estudiosos de artes marciais coreanas Dr. Kimn He Young, após muitos anos de pesquisa, afirmou:

"Podemos aceitar as duas posições dizendo que Choi acendeu o palito do fósforo, mas quem fez a fogueira foi Ji "





The Korea Hapkido Federation

Fundada em 1965 pelos maiores Mestres da época, é ainda a maior e respeitada federação de Hapkido do mundo, estando sediada em Seoul, mantendo as técnicas do Hapkido tradicional desde o seu início.

O azul e o vermelho são o Ying e Yang (positivo e negativo), ou seja, representa a filosofia da Coreia e a herança que o Hapkido nos dá ao vivermos em perfeita harmonia e equilíbrio com o universo.

A mão utilizada no emblema era a mão do grão mestre Choi e foi desenhada por um dos seus alunos: grão mestre Choi Jin Ho.

Os quatro caracteres que aparecem no emblema foram acrescentados pelo governo coreano, em reconhecimento de tal Federação.

Voltar ao índice

 

 

Hapkido em Portugal

O Hapkido aparece discretamente em Portugal durante os anos 90, trazido por praticantes de Taekwondo, que nas suas deslocações à Coreia, tomam conhecimento desta "outra" arte marcial coreana, misturando algumas destas técnicas no programa de Ho Shin Sul do Taekwondo.

As primeiras graduações em Hapkido, são dadas por equivalência a praticantes de Taekwondo, que não investiram ativamente na sua implementação em Portugal.

Poucos praticantes de Taekwondo enveredaram pelo Hapkido e a partir de 2000 surge no Norte de Portugal uma nova geração de praticantes de Hapkido, disposta a fazer formação no estrangeiro, com o propósito de aprofundar e divulgar o Hapkido.

Um destes foi Emanuel Caetano que em 2006, e após estadia de (3 meses) no Canadá, inicia o ensino e a divulgação regular de Hapkido.

Em 2009 traz ao Porto, pela primeira vez, uma equipa de mestres coreanos de Hapkido, membros da The Korea Hapkido Federation. É também a partir desta data que se passaram a realizar com regularidade seminários de hapkido e de hapkido/inter estilos. A avaliação extremamente positiva dos participantes leva o Professor Emanuel Caetano a publicar vários artigos em revistas nacionais e internacionais sobre o Hapkido e defesa pessoal. A necessidade de formação contínua leva-o ainda a realizar a sua formação em França e anualmente na Coreia, locais em que também realizou todos os seus exames de graduação (1º, 2º e 3ºdan).

Em Julho de 2012 divulga na ilha da Madeira o Hapkido, no 1º Seminário, que abre caminho para a abertura da primeira representação de Hapkido no Funchal, que decorreu em Setembro 2012.

Não sendo claras as origens do Hapkido em Portugal, é inegável o contributo do Professor Emanuel Caetano para a sua divulgação.

Voltar ao índice

 

 

Árvore Genealógica

Voltar ao índice